segunda-feira, 21 de maio de 2007

Ai, o Amor

Amor sem Amar

Os amantes arrependem-se do bem que fizeram, quando o seu desejo já se exinguiu, ao passo que aqueles que não têm amor nunca tiveram a oportunidade de se arrepender; pois não é sob o jugo da paixão, mas voluntariamente, e conduzindo bem os seus interesses, sem ultrapassar os limites dos seus próprios recursos, que eles fazem bem ao amigo. Além disso, os amantes repassam na mente os danos que o amor lhes causou nos negócios e as liberalidades que eles fizeram, e, acrescentando a isso a dor que sentiram, julgam que há muito tempo que têm vindo a pagar o preço dos favores obtidos. Já aqueles que não estão apaixonados não podem nem usar como pretexto os seus negócios negligenciados por causa do amor, nem alegar as intrigas dos familiares, de modo que, isentos de todos esses aborrecimentos, eles só têm que se empenhar em fazer tudo o que acham que deve agradar ao seu bem-amado.

Platão, in 'Fedro'

3 comentários:

elvira sequeira disse...

É evidente que o coitado deve ter passado um bocado com a suposta amada. Ou deu-lhe para trás ou não lhe deu o que ele pretendia. De qualquer maneira foi mal amado, ou talvez o amor que sentiu se esvaneceu. A tendência é logo para racionalizar. Pobre o que tem o coração fechado.Pensar sem sentir é meio viver.

Anónimo disse...

O que o Platão disse está correcto, porque quando nós fazemos uma coisa que achamos que o que estamos a fazer é o mais correcto e que depois quando a vemos sobre outra perspectiva e vemos que já não é tão correcto assim, arrependemo-nos e se nós repararmos, não podemos arrepender-mos de uma coisa que nunca fizemos.
Depois há aquelas pessoas que dizem que quando alguma pessoa de quem gostam a traem, dizem que não ficam magoadas, mas de noite choram pelo que ele lhe fez. Também há aquelas pessoas que perdoam tudo o que o seu "amado" fez, embora não seja o correcto.
Eu acho que me sentiria muito mal se eu andasse com uma pessoa às escondidas sabendo que essa pessoa é comprometida com outra. Eu acho que se, as pessoas hoje em dia, são tão egoístas, como é que não se importam que a pessoa de que gostam, é dividida com outra?

Cátia Laurentino 10ºD

oriana disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.